História do Bazar e do Rema

Tanto a Casa Espírita Recanto de Maria quanto o Bazar do Rema, evento organizado por ela, começaram há 40 anos. Como o bazar, a Casa iniciou suas atividades em instalações modestas, em um apartamento na Asa Sul. Depois, passou para uma casa na QI 23 do Lago Sul, para onde mudou-se a médium Irene Pacheco Machado, fundadora da instituição. Hoje, o Rema tem sua sede própria, na QI 15 do Lago Sul, e uma editora, onde são impressos todos os livros psicografados por Irene, especialmente os do espírito Luiz Sérgio.

No total, já foram impressos 50 títulos de livros espíritas pela Editora Recanto, 47 psicografados por Irene Machado, que são vendidos pelo Brasil afora e na livraria da casa. Os frequentadores do Rema compram os livros, inclusive a médium que os psicografa. No Rema ninguém se ressarce pelo trabalho que faz na casa, quer espiritual, quer material.

Mas a principal fonte da Casa Espírita Recando de Maria é o bazar natalino. No Rema, sempre foi assim, ninguém paga nada para frequentar a casa. Não é cobrada mensalidade, muito menos dízimo, ou qualquer outro tipo de contribuição. Quem quer ajudar a instituição só tem um caminho: o trabalho. Pintando, lixando, costurando, produzindo peças na marcenaria, fazendo comida. O resultado desse trabalho é a mais bonita e talvez a maior feira de Natal do Brasil.

A história do Rema começou com um grupo de amigas, que se encontravam para conversar, passeavam juntas, iam a teatro, exposições, salão de beleza e outras programações, sempre em torno de Irene. Entre elas estava Octicília Sabino, ainda hoje presidente do Rema. Depois foram chegando novas amigas, como Georgina Zanetti, vice presidente da Casa Espírita e uma das grandes batalhadoras, ao lado de Dirceu Machado, para que o Rema tivesse a sua sede própria.

Dos primeiros contatos com o mundo espiritual, foi se formando um grupo de pessoas dos dois mundos, ao qual se agregaram Dirceu Machado (hoje desencarnado), marido de Irene, e seus filhos Dirceu e Marília, a arquiteta que desenhou a sede do Rema, no Lago Sul. Uma casa de bela arquitetura e de muito bom gosto.

irene_pacheco

octicilia

A principal beleza do Rema, contudo, é o modo de vida da Casa, onde o estudo da doutrina espírita é o ponto de partida para quem quiser participar dos trabalhos da instituição. O Rema, uma casa sem janelas, onde só tem portas, abre para sessões públicas às quintas feiras, das 20 às 21 horas e aos domingos, das 11:30 às 12:30. Nos outros dias, o Rema abre apenas para as pessoas que frequentam os grupos de estudo e outras atividades espirituais da casa.

No primeiro semestre, os trabalhos para o bazar só acontecem nas tardes de domingo. No segundo semestre, tem trabalho todos os dias à noite, nas tardes de domingo e durante os sábados e feriados. Um grupo também se reúne, nas tardes das segundas e quintas-feiras, para costurar enxovais para recém-nascidos, que são doados às mães assistidas pela casa, entre outras.

E assim vive a Casa Espírita Recanto de Maria, há 40 anos. Sem nunca ter feito sorteios, bingos ou coisas semelhantes, jamais ter recebido subvenções de governo, nem em dinheiro, nem em doação de mercadorias. No começo do ano letivo, a casa doa material escolar, no inverno dá cobertores de qualidade para aquecer os desabrigados e não fecha as portas para quem chega necessitando de ajuda, quer material, quer espiritual, seguindo sempre o seu lema, baseado no evangelho de Jesus: “fora da caridade não há salvação’’.

Compartilhe:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

3 comentários sobre “História do Bazar e do Rema

  1. Sou artesã, faço trabalhos com Fuxicos e patchwork, gostaria muito de poder contribuir com esse bazar. Conversando com uma amiga, ela me falou que trabalhava com vocês, me despertou o meu interesse em fazê-lo também, por isso estio escrevendo, como e o que devo fazer para ser útil nesse trabalho????

    Obrigada,
    Luzia Oliveira

    • Olá, Luzia!
      Todo o trabalho é feito pelos frequentadores da Casa Espírita Recanto de Maria, que fica na QI 15 do Lago Sul. Você pode nos visitar às quintas de noite (passe às 19:30 e palestra pública às 20h) ou aos domingos de manhã (passe às 11h e palestra pública às 11:30) para conhecer!

      Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *